Imagem capa - Jornal Correio | Sim! Mas só depois do corona por Silas Coelho
IMPRENSABLOG

Jornal Correio | Sim! Mas só depois do corona

"Sim, mas só depois do corona: casais adiam casamento planejado devido à pandemia"


Nesta quinta-feira (04), publiquei no blog um texto sobre "Coronavírus + casamentos: não pare de sonhar", dando 6 dicas que considero muito importantes para este momento. 


Hoje (06) foi a vez do Jornal Correio veicular uma matéria de capa super especial sobre o tema e eu tive o prazer de contribuir. Quer conferir? Clique aqui!





Sobre tudo isso, percebo que coisas que antes para as pessoas não eram importantes, hoje, em especial diante deste momento de quarentena, olhando novamente as fotos de casamento, agora têm um sentido relevante: as pessoas se abraçavam o tempo inteiro, cantavam bem alto e bem próximas, compartilhavam lenços para enxugar lágrimas, sussurravam, apertavam mãos, davam pedaços de bolo num garfo para o outro comer... 


Coisas tão cotidianas que, enquanto eu fotografava por serem belos cenários inesperados para fotos premiadas, como a última na Itália, jamais imaginaria ser tão difícil de se repetir. Estamos ressignificando tudo!




Hoje me sinto angustiado. Além da carga de ansiedade que sentimos com a própria pandemia de Coronavírus, fico tentando imaginar uma nova realidade. As celebrações de casamento são espontâneas, soltas, livres, totalmente o contrário do que se espera de nós atualmente.


O mais bonito no casamento é o inesperado. Normalmente, são as fotos que me dão mais prêmios e não é à toa. É o enxugar de lágrimas, uma reação das crianças, o olhar daquele pai super protetor lançado ao genro, a ansiedade da mãe esperando a filha entrar, as pessoas se emocionando sem se importar com nada, apenas com as palavras ditas ali, ou as danças nada coreografadas que refletem com intensidade o quão estão em êxtase.




Ao profissional de fotografia, é importante aproveitar esse momento complicado para se conhecer melhor profissionalmente e se reinventar. Os detalhes do cotidiano, que poderiam parecer bobos para se fotografar, são hoje mais do que detalhes: tornaram-se essenciais para os noivos que têm voltado o olhar para seus álbuns por sentirem falta daquele contato, daquele gesto, daquela pessoa.


É um momento delicado, principalmente, financeiramente para o fotógrafo e é necessário ter calma. Calma para se reavaliar e/ou pivotar o que está fazendo, totalmente. É hora de rever seus trabalhos e se preparar para registrar novas formas de demonstrações de sentimentos nos casamentos.




Dei essa dica valiosa aos meus alunos: para muitos fotógrafos, pode ser interessante sugerir aos seus clientes que façam um “home wedding”, uma celebração em casa e com os convidados online. Além de não deixar a data que eles pensaram com tanto carinho para trás, é um baita registro documental dos dias atuais.


Ao mesmo tempo que anseio respostas, me conforto em acreditar que, justamente pelo casamento ser um momento único e intenso dessas cenas belas e de sentimentos, o cenário após isso tudo trará amor, felicidade e calor aos nossos corações e, então, nos permitirá ser livres novamente, nem que seja por alguns minutos!